Somos chamados a ser Igreja Samaritana, que vê, acolhe, protege e cuida. Por isso, o anúncio do Evangelho de Jesus Cristo pede-nos a metodologia do fazer-se próximo e que, com ternura, assumamos a espiritualidade do cuidado integral da pessoa, como ensina Jesus Cristo: “Viu, sentiu compaixão e cuidou dele” (Lc 10,33-34)

 

O que é a Cáritas?

A Caritas é um organismo católico presente em 200 países que atua na defesa dos direitos humanos e do desenvolvimento sustentável solidário na perspectiva de políticas públicas.  No Brasil a Cáritas é um organismo da CNBB e possui uma rede com 187 entidades-membro, 12 regionais e 5 articulações.

Fundada em 12 de novembro de 1956, tem sua origem na ação mobilizadora de Dom Helder Câmara, então Secretário-Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Desde então, a Cáritas vive e promove os valores da pastoralidade transformadora em toda Igreja do Brasil.

 

Diretrizes Institucionais:

  • Defesa e promoção de direitos
  • Incidência e controle social de políticas públicas
  • Desenvolvimento solidário e sustentável
  • Fortalecimento da rede Cáritas

 

Objetivo da Cáritas :

Promover e animar o serviço de solidariedade ecumênica libertadora, participar da defesa da vida, da organização popular e da construção de um projeto de sociedade a partir dos excluídos e excluídas, contribuindo para a conquista da cidadania plena para todas as pessoas a caminho do Reino de Deus.

 

Cáritas Paroquial

Na paróquia São Cristóvão, na medida do possível, atende a todos os que solicitam ajuda, prestando assistência material e orientações para melhorar a qualidade de vida das pessoas mais fragilizadas. A Cáritas desempenha, ainda, o papel de desenvolvimento do Projeto “É tempo de amar e servir”, considerando situação de emergência a categoria/grupos social das pessoas em situação de Rua.

 

Ações Práticas:

  • Atuação, quando necessário, nas áreas de emergências naturais e sociais (Ex. Enchentes, chuvas, secas e outros).
  • Desenvolvimento da cultura da solidariedade;
  • Organizar a Caridade cristã em favor dos empobrecidos e dos que vivem em situação de risco;
  • Dinamização da Jornada Mundial do Pobre e do Dia Mundial do Pobre;
  • Formação de agentes para a prática da solidariedade;
  • Participação nos espaços de definições e controle social das políticas públicas (conselhos, comissões, comitês, fóruns, orçamento participativo);
  • Valorização e promoção da economia popular solidária;