QUEM FOI SÃO CRISTÓVÃO?

Introdução

São Cristóvão é conhecido como o padroeiro dos viajantes e motoristas. Sua festa e comemorada no dia 25 de julho. Cristóvão: “O portador de Cristo” ou “O que carrega Cristo”. Porém, você conhece a oração de São Cristóvão ou a história dele como um servo do Senhor?

 

História de São Cristóvão

Reprobus (Cristóvão) nasceu na Palestina (a terra de Cristo) e era um homem alto, forte e apresentava uma presença marcante. Por causa do seu físico, Reprobus (Cristóvão) trabalhava como guerreiro para o rei de Canaã. Entretanto, no seu coração ele desejava trabalhar com alguém mais poderoso, o rei dos reis. Por isso se colocou a serviço do homem mais potente do mundo: o governador, imperador romano.

Em uma das festas do reino, algumas cantigas e canções estavam sendo cantadas e continham em sua letra citações ao demônio. Toda vez que era citado, o rei fazia o sinal da cruz. Intrigado, Reprobus (Cristóvão) perguntou ao rei do que se tratava aquele sinal e ele disse que era uma proteção contra qualquer má intenção ou coisas ruins vindas daquela figura. Sendo assim, Reprobus (Cristóvão) concluiu que o demônio era mais poderoso que o rei e por isso devia servi-lo.

Crente de ter finalmente encontrado seu rei, o guerreiro saiu em busca do demônio pelo deserto, até que o encontrou e juntos caminharam durante um longo tempo. Porém, o guerreiro percebeu que, quando o demônio viu uma cruz, rapidamente se afastou dela, mudando a direção da viagem. Satanás tinha medo da cruz de Cristo. Como pode ser que uma madeira espanta o Diabo??

Informando-se melhor, Reprobus (Cristóvão) descobriu e entendeu que Jesus Cristo, filho de Deus, crucificado e ressuscitado, era mais poderoso e, por isso, saiu em busca incansável ao seu novo Senhor. E disse ao Diabo “Não seguirei a ti, pois irei a procurar a Cristo.”

Durante a caminhada, encontrou um eremita e perguntou: — como posso encontrar Jesus Cristo. O velho não lhe deu uma resposta clara, mas mostrou-lhe que a bondade era a coisa mais agradável ao Senhor. Então, o eremita falou para ele ficar à beira de um rio, para ajudar a travessia das pessoas e propagar o amor entre elas. Logo, Reprobus (Cristóvão) converteu-se e resolveu trocar a sua mania de grandeza pelo serviço aos semelhantes.

Depois de se tornar cristão, o guerreiro ajudou quem precisava, passando pessoa por pessoa pelo rio em seus ombros. Em uma noite de tempestade, um menino apareceu pedindo para ajudá-lo a passar, sendo prontamente atendido. Contudo, apesar da criança ser pequena ela era muito pesada, devido a isso Reprobus (Cristóvão) mesmo sendo forte, temeu se afogar. Ao deixar a criança do outro lado do rio, comentou sobre o seu peso e eis que teve a sua revelação: “Bom homem, respondeu-lhe o menino, não te espantes, pois não só carregaste o mundo inteiro como também o Criador de todas as coisas. Eu sou Jesus Cristo, o Rei que estás a servir neste mundo, e, para que saibas que digo a verdade, põe teu cajado no chão junto à tua casa e amanhã verás que ele estará coberto de flores e de frutos”.

Daquela época em diante, o guerreiro foi chamado de Cristóvão. Esse é o significado na língua grega de Cristóvão “aquele que carrega Cristo”. Ele então se tornou um dos maiores propagadores de Cristo.

Depois desse dia, Cristóvão foi para Lícia ao encontro de cristão que estavam presos. Quando foi descoberto, apanhou muito de seus perseguidores, foi humilhado ao fazer suas pregações, mas mesmo assim não reagiu às zombarias. Então, quando todos achavam que ele estava derrotado, jogou o seu cajado no chão pedindo ao menino Jesus que o florisse novamente. Cristóvão bateu seu cajado no solo e imediatamente nasceram flores e frutos. O milagre fez com 34 mil pessoas se convertessem, mas a notícia chegou aos ouvidos do rei que mandou prender o santo.

Cristóvão, foi torturado a fim de que renegasse a fé. Foi espetado com varas de ferro e tentado por duas mulheres “Miceias e Aquilina” que o santo ressarçou. Então, o rei Décio, imperador romano do século III, mandou decapitar Cristóvão, o que teria acontecido no ano de 250, no dia 25 de julho, data em que o santo é celebrado.

Simbolicamente, Cristóvão protetor dos viajantes recebeu a missão de levar as doutrinas por todo os caminhos, assim como carregou sobre os poderosos ombros o santo menino que pesava como o mundo.

 

Oração de São Cristóvão

“Tiveste a graça de ter o Menino Jesus no colo, meu glorioso São Cristóvão, e assim pudestes transportar com alegria e dedicação aquele que soube morrer na cruz e nos dar a vida pela Ressurreição. Dignai-vos, pelos poderes concedidos por Deus a vós, de abençoar e santificar nosso veículo. Fazei que o usemos de um modo consciente e que não causemos nenhum dano ao próximo por meio do volante. Se viajarmos, acompanhai-nos com vossa poderosa proteção. Falai a Deus por nós para que ele mande todos os anjos, potestades e milícias celestes para nos guiar e proteger. Na rua, transformai o nosso olhar como o da águia para que vejamos tudo com o máximo de cuidado e atenção. São Cristóvão protetor, seja nosso companheiro na direção, dai-nos paciência no trânsito e que consigamos servir sempre a Deus e aos irmãos, por intermédio do benefício de nosso veículo. Tudo isso vos pedimos por Cristo, Nosso Senhor. Amém.”

 

Oração dos motoristas

“São Cristóvão, que uma vez pudestes carregar o fardo preciosíssimo do Menino Jesus, e por isso, com razão, sois venerado e invocado como celeste protetor e ministro do trânsito, abençoai o meu carro. Dirigi minhas mãos, meus pés, meus olhos. Zelai pelos meus freios e pneumáticos, guiai minhas rodas. Preservai-me das colisões e de pneus que estouram, protegei-me em curvas perigosas, defendei-me contra cachorros soltos e pedestres imprudentes. Fazei-me cortês para com os outros motoristas, atenciosa com a polícia, cuidadosa nas vias públicas, atenta nas encruzilhadas e sempre sóbria para um dia na terceira marcha e com toda a segurança (porém não antes do dia por Deus marcado), possa chegar à garagem celeste, onde, depois de ter parado meu carro entre as estrelas, louvarei para sempre o nome do Senhor e a mão guiadora do meu Deus. Assim seja. São Cristóvão, protegei a nós e nossos carros nas ruas e nas estradas. Acompanhai-nos nas nossas viagens e excursões.”